quarta-feira, outubro 15, 2008

"Só nos sonhos, na poesia ou nos jogos - acender uma vela e andar com ela pelo corredor -, é que por vezes nos aproximamos daquilo que fomos, antes de ser isto que não sabemos se somos."
Julio Cortázar

2 comentários:

Cirilo Veloso Moraes disse...

Eu não quero me aproximar do que fui, mas burcar sempre evoluir. Ser o que sou sabendo que amanhã já não serei o mesmo.

Sonhos? Prefiro os de padaria.

;)

Véu de Maya disse...

Olá Andrea!

a eterna criança...na sua pureza originária, inocente e e livre, gira de facto, nos nossos sonhos, nos jogos e na poesia[tb noutras formas de arte]...sem essa marca da infância em nós...o que somos talvez seja mais barco á deriva do que rio que corre...Bela e profunda citação...

carinhosamenete