sexta-feira, julho 31, 2009

Apenas Eu...

Como me definir?

Sexta-feira ...

A semana foi puxada. Dormi pouco e me estressei bastante.
Vou tentar relaxar, apesar de quê até que me diverti bastante também.
Fui ao Burb´s de sempre e recebemos lá a visita do Pedro Quental, cantor do Monobloco. Deu uma canjinha com Cabelêra e foi bem legal.
Terça-feira fui ver George no Porteño, tocando apenas Tangos.
Quinta-feira fui ao Teatro Santa Isabel ver Capiba e Nelsom Ferreira no céu e depois dei uma passadinha no Festival de Curtas na Rua da Moeda e ainda um isquinho em Serginho Altenkirch ao som do bom blues ao vivo.
Estou mesmo precisando de um relax ...
Hoje, se nada acontecer minha diversão será a minha camitcha !!!!

terça-feira, julho 28, 2009

Má Companhia no Bar Escritório - Garanhuns, 7 e 8 de Agosto


A gente tem de fazer propaganda dos amigos também, além do irmão né ?
Vai ser jóia lá em Garanhuns !
* Bonita calça "Fernandinho"... vc até que fez sucesso.

segunda-feira, julho 27, 2009

Cinema

Hoje fui ao cinema.
Na minha tentativa de fugir um pouco dos problemas, fui ao cinema.
Consegui algumas boas risadas.

video

sábado, julho 25, 2009

Ainda estou nessa de reflexão.
À parte tudo o que vivo, preciso de um remelexo em minha vida.
Quero muito viajar.
Passar um tempo fora.
Me falta dinheiro.
Conhecer gente nova, fora do metié onde já vivo.
Quem sabe interessar-me por outras coisas além das quais já me interesso.
Não sei bem.
Mas, uma vontade de mudar, ver coisas novas. Sair da mesmice.
Mas, tem de ser algo que mecha comigo de verdade, que cause interesse, motivação de correr atrás e que me dê qualquer tipo de retorno e me faça corajosa pra arriscar.

Mas, o quê ?

segunda-feira, julho 20, 2009

E sempre de vez em quando o passado

Chego a conclusão de que o passado me ronda.
Ou será que sou eu que insisto em me despregar do passado?
Ou ainda não sei lidar com ele ?
Não sei, não sei...
Ontem estava na Moeda e encontrei meu irmão mais velho.
Que por sua vez reencontrou uma amigo da época da Faculdade e tome conversa. O apelido dele era "Rick Wakeman" porque tinha cabelos louros e grandes, olhos azuis. Era surfista, hehehe
Vixe Maria!!!! Ele lembra mais da minha irmã mais velha, afinal eu era uma pentelha que brincava de Susi, ainda.
E por instantes, me lembrei de minha vida de estudante do curso primário ou ginásio...
Instituto Profissional Maria Auxiliadora ...
No meu caderno tinha sempre que escrever o cabeçalho da tarefa com o nome da escola, o local, a data ...
E me lembro do Opala azul de minha avó, 4 portas, no qual o motorista Pedro me levava para o Colégio.
E minha avó: "Avia menina ! come logo isso que você vai chegar atrasada!"
E eu mal comia duas bolachas cream cracker com queijo de copo e uma xícara fumegante de café com leite e priu!
Acho que por isso até hoje não sei comer nas pressas no café da manhã e como muito pouco.
Me lembro do pequeno período que morei no Edifício Riviera, onde meus avós ocupavam o 16 andar. Todo o andar. o que pra todo o resto do edifício eram dois apartamentos, no 16 era um só: 5 quartos, sala para 4 ambientes, duas varandas, 4 banheiros, um gabinete, cozinha, despensa, aposentos de serviço, blá, blá, blá.
Vista panorâmica de Olinda e Recife.
O piano de minha avó subiu pela varanda, pois não cabia no elevador. e o que minha mãe comprou de um morador de lá também desceu pela varanda. Este temos até hoje: um Essenfelder.
Pois é, passado. De tudo lembrei um pouco. George com a farda do Salesiano e eu com Maria Auxiliadora.
Vixe que tô ficando véia ...

sábado, julho 18, 2009

Olhem as mudanças ...

Pois é ...
Hoje foi dia agitado, muito falatório e poucos problemas resolvidos.
Trabalho anda bem, obrigado, pelo menos eu acho.
O resto é "minhocalá", como dizia meu pai, Seu Pedro.
Hoje fui direto do trampo ver meu irmão lá na FUNDAJ.
Show de bola.
Cheguei, peguei a melhor mesinha do lugar e com a cara de pau que papai e mamãe me deram, eu me aboletei no lugar reservado para os outros na maior moral.
Por dentro tava morrendo de medo de pagar o micão de ter de me levantar da mesa para dar lugar aos verdadeiros reservantes do espaço.
Mais, quem não arrisca não petisca.
Cheguei três horas antes do show. Pedi um café "doppio" expresso e um tostex de queijo.
George ainda estava por lá passando o som com Cat. Conversa aqui e outra ali e eles foram pra casa se emperequetar.
Fico eu no Castigliani. Abro meu livrinho. Meu e de Clarice Lispector e juntas ficamos ali no café ... esperando o tempo passar, com um misto de medo de perder a mesa e ao mesmo tempo, se perder, pego um táxi e vou pra casa.
No problem.
Encontrei alguns amigos legais que há tempos não via. Dividi um sanduiche Giulianno e um café Nápole, com conhaque e chocolate para me esquentar.
E ao fim das minhas continhas... Léo, o dono do Café, muito educadamente me cedeu a mesa. Um gentleman. Descobri depois que ele é Cineasta. Logo o reconheci na ambientação do local. Fotos belíssimas de atores e atrizes clássicos do cinema.
Então relaxei ... ai, ai ... tenho vantagens em ser irmã de músico. Ganho algumas regalias.
Conheci Cat, a cantora inglesa que faz o show com George e ela é muito legal.
Bem, nem preciso dizer que foi bááááááárrrrrbaro, pra quem como eu, gosta de Jazz.
Como diz Cat: "Seu "irmáo" toca pra car..."(censurado).
É engraçado ouvir inglês dizer palavrão em português !
A próxima vai ter a participação extraordinária de Nando Rangel no contrabaixo acústico. Putz !!! Nem sei o que dizer. Vai ser do car ...(censurado de novo).
Eu gastei uma notinha considerada. O Café é caro. Mas, valeu cada centavo.
Terminada a noite, peguei carona com o Cara de Bun... (Caramba ! censurado tb!) e fomos: Eu, Clarice, a Lispector, minha afta e minha espinha para casa.
Isso mesmo! Estou com uma afta e uma espinha na boca. Que beleza !!!
Eu e o Pancada da Revista MAD estamos praticamente gêmeos na beleza.
Mas, é assim mesmo... uns dias SIM, uns dias Não.
Não posso reclamar. Não mesmo.
Obrigada Léo, Cara de Bund..., Cat e Clarice que me fez companhia até tudo começar.

sexta-feira, julho 17, 2009

Ai Gente ...


Não gosto de começar assim, mas tô cansada.

Parece meio repetitivo e é de fato. Mas, não consigo mudar muito a minha vida.

Ando num círculo vicioso que me prende e eu fico meio cega pra o enorme mundo lá fora.

Ainda me bato muito com o egoísmo alheio em todas as minhas relações.

É incrível !!! esse tal de egoísmo parece uma peste.

Além disso ainda tem a galera que quer tirar uma casquinha do seu calo. Isso me irrita mais ainda.

Mas, eu sigo em frente com vícios e tudo mais.

Tenho fé de quê um dia estarei aqui só contado alegrias.

A gente planta o que colhe e acredita no que quer não é verdade ?

Escolhas, escolhas...

Tenho 4 olhos e parece que não tenho nenhum.

quarta-feira, julho 15, 2009

Trabalho de Formiguinha

Devagar e sempre semnunca desistir dos seus objetivos.
Cai, levanta e continua.
De preferência que no meio do caminho existam vitórias para motivar o percurso da longa estrada.
Não desistir.

domingo, julho 12, 2009

Bom é ser criança !


"Como se fora brincadeira de roda
Jogo do trabalho na dança das mãos
O suor dos corpos na canção da vida
O calor da vida na dança de irmãos..."

sábado, julho 11, 2009

Vila Madalena







Essas são algumas fotos que tirei de George lá no Vila, na última quinta-feira, dia 09/07.
De novo aquela sensação...
Sensação de que mudanças a flor da pele estão acontecendo.
Amadurecimento.
Uma visão mais tranquila e adulta de minha vida.
Talvez eu tenha conseguido me olhar de verdade no espelho e ver os meus atos infantis, as minhas ilusões , a minha realidade.
Acredito que comecei a me amar mais e a achar que o fato de me sentir solitária, mesmo quando acompanhada não é de todo ruim.
Comodismo ? conformidade ?
Pode ser.
Um tipo de cansaço que dá na gente, quando a gente passa a vida querendo fazer parte e no entanto é sempre esquecida ou excluída ou não incluída.
Quando a gente é importante para as pessoas apenas quando elas precisam da gente e depois somos postas de lado como um verdadeiro objeto de consumo temporário.
Me senti assim por muitos anos. Ainda me sinto. Em todas as esferas da vida: pessoal, profissional, familiar e até no amor, acreditem.
Talvez eu queira demais.
Dizem que isso é porque me dôo demais. Pode até ser, pois minha necessidade de ser querida pelos outros e importante para os outros é grande.
Mas, agora isto está mudando.
Começo a sentir o que todos chamam de amor-próprio.
Aquele sentimento que se sente quando a gente se põe em primeiro plano.
Antes de todos os outros.
Quando a gente cede para os outros, porque a gente já tá de bem com a gente.
Quando a gente não se prejudica pelos outros.
E o tamanho do nosso sacrifício pelos outros é menor do que antes.
Ou seja, resumindo:
Quando a gente vira o outro. Porque o outro faz isso com a gente.
Pretere, insignifica, descuida, absorve, consome, enfim, tantas ações posso dizer aqui...
Pois é...
Também posso chamar isso de "melhor aproveitamento dos outros"
e da vida como ela me aparece.
Durante todos esses anos eu chorei tanto pelos outros e senti tanto pavor da solidão...
Hoje não estou fria, mas sim pensando em mim primeiro.
Quando me envolver com alguém, serei sempre o mesmo amor de sempre. Dedicada e atenta ao outro, mas com o detalhe: Não existirá só o outro e sim EU e o OUTRO.

sexta-feira, julho 10, 2009

Meu momento.

Sei que mudamos desde o dia que nos vimos
Li nos seus olhos que escondiam meu destino
Luz tão intensa
A mais doce presença
No universo desse seu olhar
Nós descobrimos nossos sonhos esquecidos
E aí ficamos cada vez mais parecidos
Mais convencidos
Quanto tempo perdido
No universo desse seu olhar
Como te perder
Ou tentar te esquecer
Inda mais que agora sei que somos iguais
E se duvidares, tens as minhas digitais
Como esse amor pode ter fim?
Já tens meu corpo, minha alma, meus desejos
Se olhar pra ti, estou olhando pra mim mesmo
Fim da procura
Tenho fé na loucura
De acreditar que sempre estás em mim

Ivan Lins /Victor Martins
+++++++++++++++++++++++++++++

Batidas na porta da frente
É o tempo
Eu bebo um pouquinho
Prá ter argumento
Mas fico sem jeitoCalado, ele ri
Ele zomba
Do quanto eu chorei
Porque sabe passar
E eu não sei
Num dia azul de verão
Sinto o vento
Há fôlhas no meu coração
É o tempo
Recordo um amor que perdi
Ele ri
Diz que somos iguais
Se eu notei
Pois não sabe ficar
E eu também não sei
E gira em volta de mim
Sussurra que apaga os caminhos
Que amores terminam no escuro
Sozinhos
Respondo que ele aprisiona
Eu liberto
Que ele adormece as paixões
Eu desperto
E o tempo se rói
Com inveja de mim
Me vigia querendo aprender
Como eu morro de amor
Prá tentar reviver
No fundo é uma eterna criança
Que não soube amadurecer
Eu posso, ele não vai poder
Me esquecer

Aldir Blanc/Cristóvão Bastos

UI !!!!

Resolvi trocar o Rivotril por umas doses de uísque e uma boa música.
Fiz mal ?
Acho não.
Acabei de chegar do Vila Madalena e estava lá entre amigos, vendo meu irmão tocar.
Já bati um papo com a Produtora da casa e fiquei sabendo que a temporada vai ser longa. Portanto, todos nas quintas-feiras prestigiando a boa MBP.
Hoje só Ivan Lins e na próxima quinta só Djavan.
Tirei umas fotos, mas meu celular não quer enviá-las para meu e-mail !!!
Pena.
Vou tentar dormir.
Mas, que foi bom foi !
Tava precisando.

quinta-feira, julho 09, 2009

Queria um soninho assim ...

Hoje o dia está difícil.
Lidar com pessoas não é uma tarefa fácil.
Parece que tudo entra numa energia meio cinza quando alguma coisa não vai bem em nossas vidas.
Tenho fé de tudo vai melhorar.
O sentimento de fracasso é muito ruim de sentir.
Sempre busco algo e luto por algo, o intuito é a conquista.
Mas, preciso aprender que nem sempre a gente conquista todos os nossos sonhos.
E por mais realista que eu seja quanto a isso, ainda sim uma ponta grande de tristeza me atinge em cheio.
Talvez eu tenha me iludido muito e tenha perdido a noção da realidade. Isto é bem suscetível de acontecer comigo.
Eu, literalmente, viajei na maionese "Helmanns".
Mas, tiro o que pude agregar de bom ao meu aprendizado.
As lições sempre chegam de uma maneira ou de outra pra gente aprender o que se deve ou não fazer, principalmente quando pessoas estão envolvidas, quando sentimentos profundos estão envolvidos.
Tudo é sempre mais difícil e doloroso.
Mas, escrevo aqui as palavras de Caetano:
"Tempo, tempo, tempo
És um senhor tão bonito,
Tempo, tempo, tempo..."
O tempo ajuda.

quarta-feira, julho 08, 2009

Não quero mais me apegar aos passageiros da minha vida.
A dor da partida é muito grande.
Meu desejo é aportar num destino único,
preferencialmente definitivo e construir meus estaleiro.
Não sou marinhera de muitos portos.

terça-feira, julho 07, 2009

Estou triste ...

Nenhum texto expressa melhor o que estou sentindo agora do que o título do meu post.
Não gosto de estar assim, acredito que ninguém gosta.
Reflexiva por demais.
O que vale a pena?

segunda-feira, julho 06, 2009

Chuva nas minhas rosas, chuva no meu amor.
Espero que as águas levem consigo os tormentos.
Espero que a chuva lave as incompreensões.
Torço para que a água limpe os olhos de quem me vê.
E agoe o coração de quem me sente, com as sementes do amor.
Que assim seja !

domingo, julho 05, 2009

E esta sou Eu.

Gosto não se discute não é mesmo ?
Uns gostam de umas coisas e outros de outra.
E mesmo assim há espaço para as pessoas se entenderem.
O que não há muito é espaço para o egoísmo.
Tem momentos em que eu estou para o lado A e em outros estou para o lado B. Não exijo que ninguém siga os meus passos pianinho e nem quero ser grude e ditadora do comportamento de ninguém. Se existe uma palavra que exprime isso, essa palavra é:
Respeito.
Respeito pelo modo de viver de cada um. E aí quando as situações não se coadunam num censo comum, num acordo honesto e sincero: "os incomodados que se mudem".
Parece fácil, mas não é.
Mas, pode-se tentar não é verdade ?
"Olha, hoje eu quero sair só", que nem a música do Lenine.
Ninguém é obrigado a colar em ninguém. E ninguém tem obrigação de gostar de todas as coisas do mundo.
Só isso.

sábado, julho 04, 2009

Niver de "Finho"











Reunião de família é sempre muito bom.
Ontem foram comemorados os aniversários de Jorginho e Lybia.
Um jantar delicioso feito por "Finha", com direito a faqueiro dourado e pratos de porcelana.
Muitos sorrisos e muita alegria, pelo menos da minha parte ;-) !!!
Seguem alguns registros.

quarta-feira, julho 01, 2009

Ai, que identificação ...

video

Os homens são assim mesmo, nem ligam para os nossos sentimentos !!!!!
Ahahahahahahahah !!!

Gente esse é muito divertido, não poderia deixar de postar esse vídeo que na minha vida é tão comum: gatos brigando. Vejo esta cena quase que diariamente e como o autor do vídeo, eu também crio diálogos para meus felinos. Uma verdadeira comunidade de "Aristogatos".

Miaaaauuuuu!!!!