segunda-feira, junho 29, 2009


Descobri que meu blog Eloquências está como segundo ponto na busca Google se pusermos a palavra "eloquências" na pesquisa.
Tô bem na fita, mas acredito que esta façanha se deve ao número de acessos, 15 mil.
Obrigadinha a todos!

Os últimos dias foram agitados, estressantes e curiosos. Tanta coisa passou pela minha "caixola' que nem sei descrever.

Como diz Lula hiperativo: " A vida não é sopa"

Santo Antônio, São João, São Pedro ...
Acorda, dorme, o ladrão estressa...
Acorda, dorme, a dor de cabeça chega batendo pesado ...
Acorda, dorme, vou pro trabalho...
Acorda, dorme e a assim a vida anda.
E assim meus dias passam.
Entre fatos e fotos. Circunstâncias e fofocas.
Quero mais fofoca na minha vida não, ixi !!! quero não.
Quero mais que o povo fique elocubrando sobre minha existência não... oxe !
O que eu quero das pessoas é amizade, relação, troca, conversa, experiência de viver as coisas ...
Quero risos, bate-papo, trabalho, opinião. Quero inteligência pra dar e receber.
Fofoca? nããããooooo !!!!!!!!!!

domingo, junho 28, 2009

Paulo Roberto !

Hoje é aniversário de meu irmão Paulo Roberto. Ele faria 57 anos.
Hoje ele está num lugar bem melhor do que este e com certeza nos vendo aqui.
Feliz Aniversário Paulinho !!!

OI Novo Som !











Aconteceu na última terça-feira, dia 23/06, no Studio Fábrica.

terça-feira, junho 23, 2009

Meus Tico e Teco são super-poderosos e nunca páram de "ser ou não ser, eis a questão"
Neurônios por demais existencialistas... estes.
Dormi e acordei como a música do Hebert Vianna e a letra que me enviaram do George Harrison.
Que mistureba !

Mais ou menos como:

"Everyone has choice
When to and not to raise their voices
It's you that decides
Which way will you turn
While feeling that our love's not your concern
It's you that decides ..."

"No céu estrelado eu me perco
Com os pés na terra
Vagando entre os astros
Nada me move nem me faz parar"

UAU !!!
É muita viagem sem um pingo de alucinógeno!

Pensando bem ...
Não, não é...

É sim muito sentimento à flor da pele...
E aí ...

"Ando tão à flor da pele
Meu desejo se confunde
Com a vontade de não ser..."

Coração balão !!!


Eu adoro salada !

sábado, junho 20, 2009

"Para começar um novo capítulo é preciso terminar o capítulo anterior."
Foto by Cláudio Gomes

Há um menino
Há um moleque
Morando sempre no meu coração
Toda vez que o adulto balança
Ele vem pra me dar a mão

Há um passado no meu presente
Um sol bem quente lá no meu quintal
Toda vez que a bruxa me assombra
O menino me dá a mão

E me fala de coisas bonitas
Que eu acredito
Que não deixarão de existir
Amizade, palavra, respeito
Caráter, bondade alegria e amor
Pois não posso
Não devo
Não quero
Viver como toda essa gente
Insiste em viver
E não posso aceitar sossegado
Qualquer sacanagem ser coisa normal

Bola de meia, bola de gude
O solidário não quer solidão
Toda vez que a tristeza me alcança
O menino me dá a mão
Há um menino
Há um moleque
Morando sempre no meu coração
Toda vez que o adulto fraqueja
Ele vem pra me dar a mão.

Milton Nascimento

sexta-feira, junho 19, 2009

Maria Juliana de Aragão Melo

Hoje faria 96 anos.
Mulher de muita coragem e brilho.
Educadora nata e mãe acima de tudo. Era uma baixinha porreta. Braba que só ela e vaidosa que só Maria bonita.
Adorava a rua e viajar. Tinha orgulho de sua prole, abrangendo netos e bisnetos.
Mulher ativa e altiva, não se abalava com impecílios.
Amou a vida até seu último momento e lutou por ela mesmo quando ela foi cruel.
Feliz Aniversário Voinha !

quinta-feira, junho 18, 2009

Só é possível te amar...

Quer saber quando te olhei na piscina
Se apoiando com as mãos na borda
Fervendo a água que não era tão fria
E um azulejo se partiu
Porque a porta do nosso amor estava se abrindo
E os pés que irão por esse caminho
Vão terminar no altar
Eu só queria me casar
Com alguém igual a você
E alguém igual não há de ter
Então quero mudar de lugar
Eu quero estar no lugar
Da sala pra te receber
Na cor do esmalte que você vai escolher
Só para as unhas pintar
Quando é que você vai sacar
Que o vão que fazem suas mãos
É só porque você não está comigo?
Só é possível te amar...

Seus pés se espalham em fivela e sandália
E o chão se abre por dois sorrisos
Virão guiando o seu corpo que é praia
De um escândalo, charme macio
Que cor terá se derreter?
Que som os lábios vão lamber?
Vem me ensinar a falar
Vem me ensinar te comer
Na minha boca agora mora o teu sexo
É a vista que os meus olhos querem ter
Sem precisar procurar
Nem descansar e adormecer
Não quero acreditar que vou gastar desse modo a vida
Olhar pro sol, só ver janela e cortina
No meu coração fiz um lar
O meu coração é o teu lar
E de que me adianta tanta mobília
Se você não está comigo?
Só é possível te amar
Escorre aos litros o amor

Porque você não está comigo?
Só é possível te amar
Ouve-se sinos, amor.

Nando Reis, No Recreio

sábado, junho 13, 2009

Prêmio

Amigos,

Meu blog profissional -
http://www.andreaaragao.blogspot.com/
Foi indicado para o prêmio TOP BLOG - o maior portal de blogs da internet brasileira.

Portanto, peço a colaboração de todos.


VISITEM-ME E VOTEM !!!!

www.andreaaragao.blogspot.com

quinta-feira, junho 11, 2009

Dia sim dia não ...

...Eu vou sobrevivendo com poucos arranhões...

Corpos do Air France no IML de Santo Amaro ...
Seleção Brasileira no Arrudão...
E o João da Bosta... ops ! João da Costa teve um piripaque gástrico, que virou um enfarte e permanência na UTI, eita rádio corredor pra aumentar as coisas... nem o "mineirin" aumenta tanto um conto.
E Eu ?
Lá no meu trabalho, aprendendo a viver com pouco e merecendo ganhar mais.

quarta-feira, junho 10, 2009

Dor de cabeça ...

Não gosto de terrorismo.
Não gosto de ambiente baixo astral.
Não gosto de climas carregados.
Não gosto.
Tal qual a música da Adriana Calcanhoto.

Eu gosto dos que tem alto astral.
Dos que desejam com verdade.
Dos que vêem o claro antes do escuro.
Os que vibram de energia positiva.

Aqui estão registrados dois dos meus mundos.
Num deles a dúvida cruel persiste.
Noutro preciso tentar trabalhar o meu modo de lidar com os terroristas de plantão.

Pôxa, isso me dá um tic tic nervoso,
tic tic nervoso,
tic tic nervoso !

segunda-feira, junho 08, 2009

Sim ou não ? Eis a questão !!

Estou entre a cruz e a espada.
Estou "emparedada".
Tremenda dúvida me assola.
Sozinha para decidir, o peso das coisas oscilam.
Aproveitar ?
E as consequências ?
Deixar pra lá?
Vai ser doloroso.
Vou suportar?
Dúvida, conflito.
Estou entre a cruz e a espada.
Estou "emparedada".

domingo, junho 07, 2009

Hoje a tarde fui ao Centro.
Assisti a uma palestra interessante, onde o falante dizia que existem casas e lares.
Na concepção deste falante, casas são aqueles lugares onde só existe a coisa prática, onde você come, dorme e onde não há amor, compreensão, companheirismo.
Já um lar é o lugar onde existe o amor, a amizade, o companheirismo, enfim.
Depois, durante seu discurso, ele falou das escolhas que fazemos na vida e de que jamais podemos no vitimar pelas escolhas que fizemos.
Nós estamos aonde escolhemos e temos ao nosso lado as pessoas que escolhemos.
Cabe a nós mesmos escolhermos nossos caminhos.
É uma grande verdade. Nem sempre escolhemos os melhores caminhos para chegarmos aos nossos desejos. E muita vezes não entendemos os nossos próprios desejos, o que eles querem de nós e que lição nós tiramos deles.
Muitas vezes nem tomamos consciência da lição que nos está sendo dada.
Eu tenho uma experiência pessoal e nela já reincindi mais de uma vez.
No meu entender, não aprendi a lição.
Me sinto ignorante por ainda não ter entendido e raiva por repetir tantas vezes o mesmo erro.
No meu texto anterior disse algumas coisas e ganhei um comentário da minha cunhada: não se sinta vítima, você sabe que tudo o que nos acontece tem um porquê."
É verdade. Tudo o que nos acontece na vida tem um porquê.
As coisas que nós vivemos como boas e as ruins também.
O caminho é tentar entender e seguir em frente sem esmorecer. Muitas vezes o que parece ser muito ruim, é muito bom.
Engraçado...
Todos sabem, ou pelo menos os que me conhecem, poucos, que detesto solidão e no entanto sou muito sozinha.
Por esses dias meus tempos estão nublados e decisões importantes ocorrerão.
E aqui na minha solidão fico sentindo inveja de quem não conhece a dita cuja.
Tem gente que gosta e tem gente que não.
Comecei a me lembrar de quantas pessoas conheço que iguais a mim são solitárias ...
Gente que conhece muita gente, que sai, que trabalha, mas no fundo... são solitárias ...
Isso me entristece, pois estamos nos tornando uma grande multidão de solitários.
E parece que quanto mais a gente faz pra não ficar só, mais só a gente fica.
O mundo está mudando.
Acho que vou pra Índia, casar com um indiano e morar na mesma casa de toda a família, servir aos mais velhos e viver a confusão dos costumes.
Piadas à parte, às vezes tenho vontade de ingressar numa grande viagem, conhecer o mundo, os lugares bonitos que meus olhos possam contemplar...
Mas... só ?
Fica meio sem graça...
Afora isso, falta-me o dinheiro, mola mestra para quase tudo nos dias de sempre.
No fim das contas, estou acompanhadamente só perante tantos que conheço e que como eu, são sozinhos.
E me pergunto... pq eu não gosto da solidão ?
Uns dizem que penso demais, mas discordo.
Eu vivo a vida e ela precisa de planos e visões de pelo menos curto e médio prazo e eu incluo pessoas nos meus planos.
O tempo voa à velocidade da luz, as coisas se perecem num piscar de olhos e tudo perde o interesse cada vez mais rápido.
O ser humano, pessoa inquieta e sempre em busca de melhorar o que não está bom, tende a continuar buscando.
Quanto a isso, eu sou normal.
Existe apenas, como é normal de toda sociedade as divergências no modo de pensar a vida.
Tem gente que já tem tudo e por isso não precisa mais batalhar por nada e assim não entendem àqueles que precisam.
O que é chato e injusto, na minha modesta opinião, é o fato de almas se cruzarem num destino inviável por vários motivos: jeito de ser e de pensar, impossibilidades práticas de vida, enfim, uma série de coisas que tornam tudo um grande NÃO.
Então, pô, se num pode, pra quê deixar se encontrar não é mesmo ?
Sofrimento sem necessidade...
Ô ...

sexta-feira, junho 05, 2009

Fui dormir ontem e acordei hoje meio triste...
De vez em quando ganho um tapa de tristeza que me faz ficar mais pensativa do que já sou por natureza.
Deveria ter estudado Filosofia Científica, assim eu me emaranhava no mundo muito além além e ficava por lá.

Como toda criatura normal, sou influenciável pela mídia e agora nos últimos meses tenho acompanhado a novela das seis horas ...
Paisagens belíssimas de fazendas ricas e gado gordo, cavalos imponentes e costumes de cidade do interior. Me deu vontade de ser uma simples matutinha de tranças e preocupada apenas em aprender a cozinhar pra "agarrar marido pelo bucho", tão mais fácil do que pensar não é?
Ser simplismente uma "prenda bonita".

Aí, envolvida nessa fantasia (de vez em quando preciso sair do puramente real), fiquei escutando as músicas da trilha da novela. Tem uma em especial que não sai da minha cabeça. Sei que é meio aldeia global, mas hoje num tô muito pra críticas não.
Aí vai a letra:

De onde é que vem esses olhos tão tristes?
Vem da campina onde o sol se deita.
Do regalo de terra que o teu dorso ajeita.
E dorme serena, no sereno e sonha.

De onde é que salta essa voz tão risonha?
Da chuva que teima, mas o céu rejeita.
Do mato, do medo, da perda tristonha.
Mas, que o sol resgata, arde e deleita.

Há uma estrada de pedra que passa na fazenda.
É teu destino, é tua senda, onde nascem com as canções.
As tempestades do tempo que marcam tua história
Fogo que queima na memória e acende os corações.

Sim, dos teus pés na terra nascem flores.
A tua voz macia aplaca as dores
E espalha cores vivas pelo ar.

Sim, dos teus olhos saem cachoeiras.
Sete lagoas, mel e brincadeiras.
Espumas, ondas, águas do teu mar.

Paula Fernanda

Se eu pudesse passava uma semana numa fazenda de casa grande, acordando cedinho e conhecendo a vida do interior mais de perto. Andaria muito a cavalo pelas terras vizinhas, desceria à beira do riacho pra descansar e tirar uma soneca sob a sombra de uma frondosa árvore. Chegava na casa grande pra almoçar e depois ficar lendo e escrevendo no terraço até a hora da janta, ou quem sabe visitar os serviços da fazenda. De noite, um vinho pra esquentar e as estrelas pra contar.
Uma semana me bastava.
Muita conversa, aliás, muita "prosa", "causos", histórias de assombração e modas de viola.
Acho que tô precisando tomar um chá de sumisso...
video

quinta-feira, junho 04, 2009

Quando os olhos se abrem

Capricórnio é um signo de muita perseverança, sempre buscando atingir os sonhos, mesmo que demorem ou que tenha de lutar muito.
Nasci no último decanato, 16 de Janeiro da década de Tostão e Pelé. Década de vencedores, marcante no seu movimento cultural e resquícios de uma política conturbada.
Dizem os astrólogos que tenho um ascendente em gêmeos, muito propenso às comunicações e ao mesmo tempo à dubiedade.
Tenho em mim ambas características e, como todo cabrito nato, detesto sentir as decepções.
É ruim quando um capricorniano sente que entrou na rua errada e andou por longo tempo para chegar a lugar nenhum.
Sensação de engano, ilusão, enfim, muitas sensações.
Acredito que não só para os capricornianos, mas todos os que se dedicam a algo e percebem que não era bem aquilo.
Sensação muito ruim de sentir...
Só com o tempo que passa.
Pensar demais dá sono
Falar demais dá rouquidão
Dormir demais dá cansaço
Se falo, falo demais
Se penso penso demais
Se me calo, me calo demais
Se não penso, sou oca ...

Ser ou não ser, eis a questão

terça-feira, junho 02, 2009

"A resistência do incrédulo, devemos convir, muitas vezes provém menos dele do que da maneira por que lhe apresentam as coisas. A fé necessita de uma base, base que é a inteligência perfeita daquilo em que se deve crer. E, para crer, não basta ver; é preciso compreender.

A criatura então crê, porque tem certeza, e ninguém tem certeza senão porque compreendeu."

Kardec

Lendo isto, desejo a mim mesma a derradeira compreensão dos desejos que não posso, dos sonhos que serão sempre oníricos e mais do que nunca a razão para buscar o que de verdade é para mim. O que mereço.
Quero ter dentro de mim a fé inabalável e a crença de que as escolhas serão sempre as coerentes e que como escolhas, ganha-se e perde-se.
Quero ter a firmeza e a força interior para acreditar sempre no claro e nunca no escuro. Jamais no negativismo obstaculoso dos incrédulos.
Quero sempre acreditar que posso, que consigo !
Quero poder me entregar ao que e quem for pra mim ! sem medo, preconceitos, dúvidas ou limitações.
Tenho alegrias de atingir objetivos traçados, nem todos, decerto, porém, já tirei a sorte grande algumas vezes.
Porquê não acreditar que meus passos de agora em diante serão os certeiros?

Aos Filhos de Capricórnio

Madrepérola de cor
a teimosia tá no ar
signo da terra, da percussão
a dúvida não tem lugar
signo de capricórnio, ser
ser como se fosse escalar
a montanha negra do dia a dia
não saberia sonhar
signo da segurança total
signo da persistência, e afinal
na versão mais infinita do ser
capricórnio inda precisa aprender
que da estranha forma do caracol
foi que se inventou a clave de sol
simbolismo do prazer
tudo mágica ser

Oswaldo Montenegro

segunda-feira, junho 01, 2009



HONESTIDADE É FUNDAMENTAL !

...

Desde quinta não venho aqui.
Ando muito reflexiva ultimamente. Será que é a fase de entrar nos 40 anos ?
E ultimamente tenho pensado duas vezes antes de me expor aqui.
Antigamente não pensava assim.
Me colocava sem medo do que as pessoas pudessem pensar de mim.
Não tenho medo hoje, mas receio.
Preconceito é uma coisa que está e sempre esteve muito em voga desde que o mundo é mundo.
Mas, como ía dizendo...
Ando reflexiva. Na verdade sempre fui.
Às vezes acho que penso até demais sobre tudo e no fim das contas não vivo o "tudo que há pra viver".
Preocupações à parte...
Ando reflexiva...
Não é o tipo de reflexão shakespeariana. Não.
Algo mais realista, cotidiano, mais perto da necessidade do bem viver.
Hoje, acordei tarde, dormi muito, tanto que minhas costas doíam ao me levantar.
Se meu pai estivesse vivo, diria: "Essa dor é de tanto carregar a cama nas costas"
Uma ironia sarcástica que ele sempre fazia para chamar seus filhos de preguiçosos.
Meu pai era extremamente reclamão.
Pois, segundo meu pai, carreguei a cama nas costas por tantas horas que acordei com as costas em dor. Levantei-me e logo descobri que o tradicional almoço dominical não iria acontecer. Motivo para deitar-me novamente. Mais algum tempo junto a Morpheu e aí me levantei.
Dia bonito, frio e sol juntos combinam.
Fiz algumas coisinhas de casa e fui almoçar.
Voltei. Tinha mais coisinhas a fazer, mas o sol me convidou para vê-lo no terraço de minha casa.
Sentei-me numa das cadeiras de ferro cinquentenárias de minha avó e fiquei olhando o sol se por entre as papoulas plantadas por meu avô no canteiro da entrada da casa.
Muito agradável.
Logo meus felinos vieram me fazer companhia, e entre um afago e outro nos pêlos de Maria Tucha, minha mente divagava por um sem fim de pensamentos de mim mesma.
Eu, meu trabalho, amigos ao meu redor, família, futuro, coisas práticas como moradia, dinheiro, enfim, meus anseios ainda não saciados, meus desejos ainda não realizados ...
Me perguntei se tudo o que quero é realmente o que quero.
Elocubrei sobre meus dias acontecidos e se eu quero mudá-los.
O que há de não interessante em minha existência atualmente?
Existem sim muitas coisas que não estão como eu quero.
Existem muitos sentimentos que sinto e que me alertam para que eu mude.
E, ao mesmo tempo, por outro lado, estou vivendo uma vida.
Em alguns momentos sinto-a imensamente limitada e em outros sinto-a ativa.
Talvez porque eu seja normal e como um ser humano, deseje sempre mais.
Queria me desprender dos preconceitos sem por isso perder a minha identidade e o meu norte sobre o que é saudável e o que é nocivo.
Acredito que este discernimento possuo.
Tenho em mim uma espécie de alerta, uma voz interna que me avisa: "Não vá por aí".
E aí, quando penso assim, fico me perguntando: "qual foi a voz que me disse, Vá por aí. O negócio é meio complicado, mas mesmo assim vá." E eu fui.
Não me desobedeço.
Pago o preço.
E só cabe a mim continuar com este aluguel ao invés de ter o que eu mereço por direito e conquista.
Às vezes Eu conquisto de forma meio enviezada. Quase sempre sou conquistada de forma muito torta.
Não dá para explicar, por mais que passe tardes e tardes vendo o por do sol no terraço da casa de meus avós.
Sempre disse pra mim e pra todos: a vida é uma grande escolha e temos de nos responsabilizar por elas.
Faz um tempo que não vinha por aqui... Desde quinta-feira...
Acho que tô pensando demais.