segunda-feira, outubro 13, 2008

Caminhos

O que nos leva.
Às vezes uma palavra nos aproxima, às vezes afasta.
Um gesto no redime, outros nos tornam tiranos, ditadores.
Um olhar nos comove
Um sorriso nos enche de alegria.

E o que falar das coisas comuns?
O que falar do que aproxima uns dos outros?
Só ganhos, digo de cadeira.

Nem sei que são, não sei exatamente o que pensam, nunca os olhei nos olhos ou percebí seus sorrisos.
A voz? esta muito menos.
Mas, mesmo que o oceano seja a distância,
Encontros sempre serão manjares dos deuses !

Um comentário:

Véu de Maya disse...

viva Andreia!

gostei de ler este seu poema...o mar como distância e aventura...uma certa nostalgia...agrada-me o lado lírico e sereno...

carinhosamente